Simples Nacional: impostos unificados

A tributação desse regime reúne a cobrança de vários impostos em uma única guia, e, além disso, o empresário pode fazer o pagamento da tributoprevidência. Para micro e pequenas empresas serem incluídas no modelo de tributação do Simples Nacional, elas não podem ter dívidas com a União ou com a Previdência Social.

Os impostos reunidos na guia do regime são:

  • Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Programa de Integração Nacional (PIS);
  • Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS);
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);
  • Imposto sobre Circulação de Serviços de Qualquer Natureza (ISS);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Como funciona o Simples Nacional?

Desburocratizar o pagamento de impostos é um dos objetivos do Simples Nacional. Dessa maneira, o modelo do Simples abrange pequenos e médios empresários, onde o faturamento é de até 4,8 milhões de reais anual. Por isso, a tributação é feita em guia única, portanto todos os impostos municipais, estaduais e federais são pagos na mesma data.

Essa é a razão do “simples”, uma maneira simplificada de tributação. Entretanto, é importante ficar alerta quanto à porcentagem de imposto que é recolhido pelo governo. Contudo, essa porcentagem é variável de acordo com a atividade e arrecadação bruta anual da empresa.

Tributação

Apesar deste regime tributário ser escolhida por muitas micro e pequenas empresas, pode ser que não seja a melhor opção para você.

É importante que você converse com seu contador para ver os benefícios que o Simples Nacional pode trazer a sua empresa.

Fonte: Jornal Contábil

A Pontual Assessoria Contábil está nas redes sociais! Siga-nos no Instagram e no LinkedIn curta nossa Fan Page no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *